segunda-feira, 10 de julho de 2017

O bater de porta dos EUA ao Acordo de Paris

Susana Silva, dirigente de Os Verdes e membro da Comissão Executiva, escreve regularmente no Distritonline. A sua última crónica tem como título: "O bater de porta dos EUA ao Acordo de Paris".


O "bater de porta" dos EUA ao Acordo de Paris

O Presidente dos EUA comunicou, formalmente, a saída dos EUA do Acordo de Paris, negociado durante a COP 21 e subscrito por 195 países, e que reflete as negociações de quase todos os países do mundo para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, com vista a combater o fenómeno das alterações climáticas.


Para Os Verdes, esta decisão é absolutamente condenável, pois significa a demissão de um dos maiores emissores de gases com efeito de estufa do objetivo de combater e mitigar o aquecimento global do Planeta. Importa relembrar que os EUA representam um total de cerca de 18% das emissões mundiais e que, per capita, são o maior emissor do mundo. Assim, com esta decisão os EUA podem pôr em causa o Acordo de Paris, o único acordo ao nível mundial que estabelece meios e metas para enfrentar globalmente as alterações climáticas, no âmbito da Convenção Quadro de Combate às Alterações Climáticas, aprovada na Conferência do Rio, em 1992.

Há muito tempo que o Partido Ecologista Os Verdes tem vindo a alertar para o fenómeno das alterações climáticas. Hoje, elas são uma realidade inegável, que se tem evidenciado em vários pontos do Planeta e que tem também afetado em grande escala os EUA, com fenómenos de extremos climáticos bastante ameaçadores e dramáticos para a população norte americana. Ora, ao anunciar desvincular-se do Acordo de Paris, o Presidente dos EUA está a aprofundar esta ameaça com uma decisão que comprova a atitude de negação das alterações climáticas, representando um enorme retrocesso que terá impactos muito negativos a nível do clima e a nível mundial.

Aquando da decisão dos EUA, Os Verdes tomaram de imediato posição condenando veementemente a decisão anunciada pelo Presidente dos Estados Unidos da América de desvinculação do Acordo de Paris, reafirmando o seu compromisso com políticas de defesa do clima.

O PEV defende que cada vez mais o ambiente deve ser encarado como um dos pilares da garantia da qualidade de vida, do bem-estar, da sustentabilidade e do desenvolvimento, esperando que os signatários do Acordo de Paris se empenhem no cumprimento dos objetivos traçados, pois estamos perante um dos maiores desafios que o Planeta enfrenta.



quinta-feira, 6 de julho de 2017

Verdes querem saber se o sistema de videovigilância no Parque Natural da Arrábida está operacional


A Deputada Heloísa Apolónia, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente, sobre o funcionamento do sistema de videovigilância no Parque Natural da Arrábida, tendo em conta o momento que atravessamos em que o flagelo dos incêndios florestais nos assola e que nos remete para a necessidade de um investimento sério e adequado em meios de prevenção.

Pergunta:

Tendo em conta o flagelo dos incêndios florestais que assolam todos os anos o nosso país e que nos remetem para a necessidade de um investimento sério e adequado em meios de prevenção, em várias frentes e vertentes (desde o ordenamento e de uma responsável gestão florestal, até aos meios de vigilância que operem com eficácia);

Tendo em conta o progressivo desinvestimento que tem sido feito, por vários Governos, em meios humanos que promovem a vigilância da floresta e das matas portuguesas (de referir que o número global de vigilantes da natureza está muito aquém do necessário, para garantir a segurança do nosso território classificado, e que, no sentido de fazer uma inversão desse caminho no ano de 2017, serão contratados mais 50 vigilantes da natureza, por proposta dos Verdes no Orçamento de Estado);

Tendo em conta que no Parque Natural da Arrábida foi instalado, há já vários anos, um sistema de videovigilância, com 10 câmaras de vigilância, que representou custos bastante elevados e que requeria verbas igualmente avultadas para a manutenção necessária;

Tendo em conta que não tardou muito para que as câmaras de vigilância fossem progressivamente avariando e para que a manutenção não fosse sendo realizada;

Tendo em conta que chegou a ser noticiado que as 10 câmaras de vigilância chegaram a estar todas avariadas;

Tendo em conta que, com a diminuição de meios humanos para a vigilância desta importante área protegida, e com as avarias constantes das câmaras de videovigilância, é o Parque Natural que se fragiliza, tornando-o mais vulnerável a flagelos como os incêndios florestais;


Tendo em conta que estamos a falar de uma área protegida, que integra valores naturais bastante relevantes, que importa preservar e valorizar;

Tendo em conta que o PEV solicitou, na última audição do Senhor Ministro do Ambiente, na Comissão Parlamentar de Ambiente, informação atualizada sobre o estado de funcionamento e de conservação do sistema de videovigilância no Parque Natural da Arrábida, e que o Senhor Ministro não tinha, na hora, essa informação disponível;

Tendo em conta que o PEV informou o Senhor Ministro que enviaria uma pergunta escrita, de modo a obter essa informação;

Solicito ao Senhor Presidente da Assembleia da República que, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, remeta a presente Pergunta ao Ministério do Ambiente, de modo a que me possam ser prestados os seguintes esclarecimentos:

1. O sistema de videovigilância está a funcionar plenamente no Parque Natural da Arrábida?

2. No caso de não estar, integral ou parcialmente a funcionar, pergunta-se desde quando se verifica essa inoperacionalidade e por que motivo.

3. Com que regularidade, e por quem, é feita a manutenção deste sistema de videovigilância?

4. Desde que foram instaladas as 10 câmaras de vigilância, pergunta-se quais os períodos em que estiveram integralmente operacionais.


5. Desde que foram instaladas as 10 câmaras de vigilância, pergunta-se quanto foi gasto em manutenção para o funcionamento do sistema.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Seixal - Comício Festa da CDU a 7 de julho

No próximo dia 7 de julho, sexta-feira, pelas 21:00h vai ter lugar na Praça Central da Torre da Marinha, no Seixal, o Comício Festa da CDU.


Esta iniciativa contará com a participação de Afonso Luz, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


 Participa nesta grande iniciativa de afirmação da força da CDU no concelho do Seixal!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Os Verdes lamentam o falecimento de Augusto Pólvora, Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra

O Partido Ecologista Os Verdes lamenta o falecimento do Arquiteto Augusto Pólvora, Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra.

Augusto Pólvora, licenciado em Arquitetura, foi eleito vereador pela CDU em 1989 e chegou a presidente da Câmara Municipal nas eleições de 2005. Este era o seu terceiro mandato consecutivo como presidente da autarquia. Integrou ainda, e durante vários anos, os órgãos da Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS), exercendo atualmente a função de Presidente da Assembleia Intermunicipal da AMRS.


O Partido Ecologista Os Verdes destaca e enaltece o seu importante trabalho, mérito e dedicação na defesa do Poder Local Democrático e na promoção da qualidade de vida da população de Sesimbra, como sesimbrense e como Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, deixando um legado único e de enorme valor.

O seu falecimento extremamente prematuro constitui uma enorme perda para o município de Sesimbra e para a região de Setúbal. Os Verdes apresentam as mais profundas e sentidas condolências à sua família, aos amigos, à autarquia, ao povo sesimbrense e ao Partido Comunista Português.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Alcácer do Sal - jantar de apresentação dos candidatos da CDU

No próximo dia 30 de junho, sexta-feira, pelas 20:00h vai ter lugar o jantar de apresentação dos primeiros candidatos da CDU a todos os órgãos autárquicos do concelho de Alcácer do Sal e do Mandatário Concelhio.

Esta iniciativa irá decorrer na Quinta do Poço Velho e contará com a participação de Francisco Madeira Lopes, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.




Participa, e vem dar força à CDU em Alcácer do Sal!

segunda-feira, 26 de junho de 2017

O Poder Local e a Descentralização

Afonso Luz, membro da Comissão Executiva do PEV e eleito pela CDU na Assembleia Municipal de Setúbal, escreve no Diário do Distrito um artigo de opinião sobre o poder local e a descentralização:


A 1 de Outubro próximo iremos ter eleições autárquicas.

Por todo o lado já se apresentam candidatos, se começam a apresentar projetos, se começam a debater ideias.

É curioso observar como se posicionam os diversos candidatos e respetivas candidaturas.

Vemos surgirem candidatos conscientes das dificuldades próprias de qualquer gestão pública e, neste caso, aquela que mais perto se situa das pessoas, dos seus problemas, dos seus anseios e preocupações.

Candidatos estes que apresentam propostas exequíveis, enquadradas em projetos de desenvolvimento que se percebe terem sido estudados e devidamente ponderados. Projetos de futuro, com ideias novas, a bem da região e das suas populações.

Outros há, no entanto, que aparecem com propostas que, embora de aparência bondosa, não passam de mera demagogia, populismo, falta de bom senso e, acima de tudo, desrespeito pela inteligência dos eleitores e das populações em geral.

Ainda a procissão vá no adro e deste tipo de candidatos já vamos vendo de tudo. Desde propostas de investimentos irrealistas, até às promessas de baixas de impostos e taxas cobrados pelas autarquias a que se candidatam.

Normalmente sem, em simultâneo, explicarem como, com a redução de receita que propõem, irão pagar os tais investimentos e continuar a pagar aos fornecedores da autarquia.

O Poder Local Democrático é uma das maiores conquistas de Abril e, como tal, deveria ser tratado com o maior respeito.

Um Poder tão do desagrado da direita, que tanto tem feito para o destruir, em especial no último governo PSD-CDS, em que, a propósito de dar resposta à crise, se pretendeu estrangular financeiramente as autarquias e prejudicar a qualidade dos serviços prestados às populações, pela impossibilidade de gerirem os seus recursos humanos de acordo com as necessidades.

E tivemos, também, a imposição da extinção de freguesias, num processo de completo desrespeito pelas populações e pelos autarcas.

Ao mesmo tempo que eram “despachadas” para as autarquias competências que nunca deveriam deixar de pertencer ao Poder Central, sem que, em simultâneo, fossem atribuídos os meios financeiros necessários ao cabal desempenho dessas atribuições.

Não somos contra a descentralização, muito pelo contrário. Mas a descentralização não pode passar por serem “atiradas” para as autarquias responsabilidades que, sendo questões de âmbito nacional, como tal devem ser tratadas e, por isso, nunca deverão sair da esfera do Poder Central.

Nem podem ser transferidas competências para as autarquias sem que os meios adequados para lhes fazer face sejam igualmente atribuídos.

Os autarcas da nossa região, quase na sua totalidade, têm tido uma capacidade de trabalho notória, gerindo as suas autarquias com responsabilidade, competência e honestidade, colocando os interesses das suas populações e da região sempre na linha da frente.

É prova disto o papel determinante que têm tido na defesa de uma descentralização responsável, de uma organização administrativa que respeite a vontade das populações e da autonomia do Poder Local.

Tal como foi determinante a sua ação quando se tratou da gestão e tratamento de resíduos, ou da reversão da extinção da SIMARSUL, ou, mais recentemente, quando da tentativa de encerramento de vários balcões da Caixa Geral de Depósitos.

Nas próximas eleições é a estes autarcas de reconhecida qualidade que temos de dar mais força, porque só eles nos dão a garantia de que continuarão a existir o esforço, a dedicação e o empenho no desenvolvimento da nossa região.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

CDU Barreiro - almoço de apresentação de candidatos

Ontem, 18 de junho, teve lugar no Barreiro o almoço de apresentação dos candidatos da CDU às próximas eleições autárquicas de 1 de Outubro. Neste almoço esteve presente Susana Silva, membro da Comissão Executiva de Os Verdes.

Aqui fica parte da intervenção da companheira Susana Silva:

Permitam-me uma saudação muito especial à futura Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, – Sofia Martins, ao futuro Presidente da Assembleia Municipal, – Carlos Humberto, ao Mandatário Concelhio da nossa candidatura – Augusto de Sousa e aos 5 candidatos da CDU à Câmara Municipal que hoje apresentamos.


Saudar também os futuros presidentes das 8 freguesias do nosso concelho: Carlos Moreira, Ana Porfírio, Ana Pires e Rogélia Costa.

Candidatos da CDU que hoje aqui apresentamos e que vão, com todo o empenho e convicção de sempre, juntamente com todos nós, continuar o trabalho da nossa CDU no concelho do Barreiro.

E é com trabalho, na resposta de proximidade às aspirações, preocupações e necessidades das populações, com honestidade porque prestamos contas do que fazemos, e com competência porque trabalhamos em comunidade para a comunidade, respondendo aos seus anseios, promovendo o bem-estar colectivo. Somos homens e mulheres que estamos junto das populações.


Leia aqui o texto completo desta intervenção.

domingo, 18 de junho de 2017

Incêndios em Pedrógão Grande – Uma Tragédia

Perante a gravidade dos incêndios, que estão a assolar o país e em particular o Concelho de Pedrogão Grande e Concelhos vizinhos, “Os Verdes” querem expressar publicamente a sua solidariedade com as populações afetadas e saudar a coragem de todos quantos combatem estes incêndios, em detrimento dos perigos para as suas vidas, os Bombeiros e ainda os populares que se organizam para fazerem face a este flagelo. 

Este é sem dúvida um momento dramático para o país, havendo até ao momento a lamentar já a perda de 57 vidas humanas, assim como dezenas de feridos, sendo previsível o aumento deste número, dado que só com o avançar do tempo se conseguirá ter noção da real dimensão de tamanha tragédia.


Os Verdes expressam o seu profundo pesar às famílias e amigos das vítimas mortais e esperam que o rápido auxílio prestado aos feridos possa resultar no não aumento de mais mortes.

Aos bombeiros os verdes manifestam o seu profundo reconhecimento e enorme coragem pelo trabalho inesgotável que desempenham.

Esperamos igualmente q a ajuda internacional chegue rapidamente, porque todos os meios são necessário para pôr fim às quatro frentes ativas que ainda lavram com enorme fúria.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Verdes recomendam ao Governo o urgente reinício das obras de reabilitação da Escola Secundária do Monte de Caparica

O PEV entregou na Assembleia da República um Projeto de Resolução em que recomenda ao Governo que que tome as medidas necessárias para o rápido reinício das obras de reabilitação da Escola Secundária do Monte de Caparica, bem como para a sua urgente conclusão, de modo a criar as condições indispensáveis à concretização do direito à educação e a garantir dignidade a toda a comunidade escolar.

Ao fim de sete anos de falta de condições de trabalho, que com o decorrer do tempo se têm degradado ainda mais, a comunidade escolar está no limite das suas forças, havendo um sentimento comum de desencanto e descrença.

Os Verdes consideram, que não pode haver conformismos e mais adiamentos inadmissíveis em relação a esta situação inaceitável.

Leia aqui o texto completo do Projeto de Os Verdes.

Terminal de Contentores no Barreiro - Os Verdes Contra a proposta apresentada

No âmbito da consulta Pública do Terminal de Contentores no Barreiro, Os Verdes decidiram participar na mesma devido à importância do projeto e seus impactes ambientais, tendo assumido uma posição negativa face ao documento apresentado.

Para conhecimento, destacamos da posição do PEV que vê com grande preocupação o projeto ora apresentado, pois entende que este se constitui como uma verdadeira agressão paisagística e aniquiladora da frente ribeirinha do Barreiro, recentemente requalificada pela autarquia, uma vez que incide sobre a avenida da Praia, a marginal no centro da cidade, afetando a sua vista sobre o rio e sobre Lisboa. Este aspeto leva-nos a não concordar com o projeto na forma como está apresentado.

Por outro lado, consideramos que o ecossistema em causa não foi suficientemente caracterizado, deixando-nos a sensação de que não houve grande preocupação quanto a esta importante matéria.


Realçamos ainda, grande preocupação pelo passivo ambiental que encerra os sedimentos do estuário do Tejo, que apesar dos resultados das amostragens revelarem um baixo grau de contaminação, consideramos que devia haver uma maior incidência de amostragens, uma vez que a dragagem dos sedimentos pode representar um impacte na qualidade das águas do estuário e dos ecossistemas. 

Os Verdes consideram ainda que uma estratégia de desenvolvimento da Área Metropolitana de Lisboa se concretiza tendo por base a criação da visão da cidade das duas margens, onde o rio Tejo deve assumir um papel estruturante e agregador de vivências, práticas e saberes. É necessário o reforço sustentável das atividades ligadas ao rio, quer sejam atividades piscatórias ou atividades de recreio e lazer, quer seja o reforço das atividades produtivas, da recuperação e reabilitação das áreas industriais degradadas, dos espaços urbanos ribeirinhos e das margens do estuário, promovendo um enquadramento paisagístico e funcional adequado ao seu valor ambiental, de reserva da biodiversidade e ao seu papel como elemento de centralidade, valorizando sempre a sua identidade sociocultural.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

CDU Barreiro - almoço de apresentação de candidatos

No próximo dia 18 de Junho, pelas 13:00h nos Bombeiros Voluntários Sul e Sueste, vai ter lugar o almoço de apresentação formal dos primeiros seis candidatos à Câmara Municipal do Barreiro, os cabeças de lista às Freguesias e o Mandatário Concelhio da CDU.


Participa, e vem dar mais força à CDU no concelho do Barreiro!


terça-feira, 6 de junho de 2017

Eleições de Outubro para o Poder Local Democrático

Álvaro Saraiva, membro da Comissão Executiva do Partido Ecologista Os Verdes, escreveu no Diário do Distrito, jornal da região de Setúbal, um artigo de opinião sobre as próximas eleições de Outubro.


A intervenção nas autarquias constitui para nós Partido Ecologista “ Os Verdes” uma área privilegiada para a promoção de um modelo alternativo de sociedade, assente numa postura de convergência e participação dos cidadãos na gestão do seu quotidiano e condições de vida.

Para nós a atividade autárquica pressupõe uma prática ligada à realidade ecológica e à identidade cultural, só possível de concretizar através de projetos políticos abrangentes e dinâmicos que respeitem as diferenças e promovam a criatividade geradora de novas estratégias de desenvolvimento e do reforço das varias formas de democracia participativa. A nossa eleição nos órgãos autárquicos reveste-se de um significado profundo, pois é uma das mais importantes conquistas do 25 de abril.

quem somos, de onde vimos e para onde vamos
Se alguém nos perguntar como nos vamos apresentar ao eleitorado nesta campanha que culminará com o voto popular em 1 de Outubro, talvez possamos responder, com a necessária humildade democrática mas com profunda convicção, que somos gente que faz, gente que trabalha, gente com projetos e gente de confiança!

Sim, somos gente que faz esta região de Setúball, por vontade do povo, que se orgulha do seu património de passadas e marcantes realizações e de dar continuidade e desenvolvimento a uma prolongada ação autárquica que mudou profundamente os nossos concelhos e somos também gente que faz com uma irrepreensível ética de serviço público e sempre em diálogo estreito com a população.

Sim, somos gente que trabalha e, sem prejuízo de deficiências e insuficiências, julgamos que estaremos em condições de demonstrar detalhadamente às populações que o mandato que terminará em Outubro foi marcado por uma intensa actividade autárquica, pelo cumprimento  dos compromissos assumidos em 2013.

A 4 meses das eleições, os candidatos da CDU são homens e mulheres, gente honrada, trabalhadora que vê nos valores de abril os instrumentos para a construção de uma sociedade onde todos tenham lugar, esperança e direito à dignidade de vida. É esse o rumo que temos desenvolvido a nível nacional. Fomos nós também, eleitos do PEV e do PCP na Assembleia da Republica, que tudo fizemos e trabalhamos para recuperar rendimentos cortados pelo governo PSD/CDS, recuperar as 35 horas e aumentar apoios sociais imperscindíveis para combater a pobreza, estes são alguns dos direitos recuperados graças a nós CDU. Quanto mais forte a CDU na Assembleia da Republica ou no Poder Local, melhor é para os cidadãos.

Porém, a voz da CDU nas próximas eleições de 1 de outubro não se limita aos candidatos, são precisos todos os militantes e simpatizantes da CDU e todos aqueles que se identificam com os projetos da CDU e seus valores.

A nossa região, Setúbal, precisa cada vez mais de um Poder Local Democratico, forte e só a CDU e os seus candidatos têm a determinação, a experiencia e a dedicação a esta  população da região.

Este artigo foi publicado no Diário do Distrito a 3 de junho de 2017.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Dia Mundial do Ambiente

No dia 5 de junho, Dia Mundial do Ambiente, o Partido Ecologista Os Verdes entregará na Assembleia da República um conjunto de 10 projetos (5 projetos de lei e 5 projetos de resolução) sobre matérias relevantes para a defesa do ambiente e a garantia de maior sustentabilidade.
Este pacote de projetos integra-se em quatro temáticas fundamentais, a saber:

ÁGUA E RESÍDUOS:
1. Projeto de Lei que torna obrigatória a informação ao consumidor, na fatura da água, sobre dados relativos à qualidade da água para consumo e ao encaminhamento dos resíduos urbanos para as diferentes operações de gestão.
2. Projeto de Resolução que prevê a necessidade da revisão da Convenção de Albufeira, até 2018, com a garantia de previsão de caudais ecológicos nos rios luso-espanhóis.


PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE:
3. Projeto de Lei que estabelece medidas de proteção dos carvalhos e de outras espécies autóctones da flora portuguesa.
4. Projeto de Lei que retira da lista de espécies cinegéticas a raposa e o saca-rabos, proibindo a sua caça.


GESTÃO E MINIMIZAÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS:
5. Projeto de Lei que alarga a obrigatoriedade de rotulagem de alimentos OGM.
6. Projeto de Resolução com vista a erradicar o glifosato e a investir, junto da União Europeia, para a não renovação de licença do glifosato no espaço europeu, no final de 2017.
7. Projeto de Lei que reforça as regras de proteção contra a exposição aos campos eletromagnéticos, derivados de linhas de muito alta tensão.
8. Projeto de Resolução que exorta o Governo português a desenvolver esforços, junto do Governo espanhol, para travar a exploração de urânio em Salamanca, junto à nossa fronteira.


EDUCAÇÃO AMBIENTAL:
9. Projeto de Resolução que visa reforçar a educação ambiental como componente de valorização da escola pública.
10. Projeto de Resolução que permite que o projeto eco-escolas seja considerado componente letiva para os professores coordenadores deste importante projeto.


De salientar que este conjunto de projetos constituirão, para o Grupo Parlamentar Os Verdes, uma prioridade de agendamento e de debate no Parlamento. A sua aprovação pelos demais grupos parlamentares em muito favoreceria, no nosso país, maior segurança, consciência e garantias ambientais.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Donald Trump Declarou Guerra à Sustentabilidade do Planeta

Donald Trump comunicou hoje formalmente a saída dos EUA do Acordo de Paris, o qual reflete as negociações de quase todos os países do mundo para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, com vista a combater o fenómeno das alterações climáticas.

Os Verdes consideram absolutamente condenável esta decisão da Administração norte americana, tendo em conta que ela significa a demissão de um dos maiores emissores de gases com efeito de estufa (representando um total de cerca de 18% das emissões mundiais) do objetivo de combater e mitigar o aquecimento global do Planeta. Deve realçar-se que os EUA são, per capita, mesmo o maior emissor do mundo!

Trump declarou hoje, formalmente, guerra à sustentabilidade do Planeta, pondo em causa o único documento existente ao nível mundial para se poder enfrentar globalmente as alterações climáticas.


Não deixa de ser curioso que Trump não renegue as alterações climáticas, nestas suas declarações de hoje, porque efetivamente se trata de uma realidade inegável, que, de resto, tem afetado em grande escala os EUA, com fenómenos de extremos climáticos bastante ameaçadores e dramáticos para a população norte americana (ex: furacões, cheias, etc). É essa ameaça e esse drama que Donald Trump está a contribuir para intensificar no mundo e também com sofrimento para o povo dos EUA.

O PEV espera que os signatários do acordo de Paris continuem o seu trabalho para o cumprimento do acordo de Paris e que encontrem mecanismos que não permitam que os EUA possam beneficiar economicamente pelo facto de não pretenderem colaborar nessa luta global necessária. O PEV espera, ainda, que os ecologistas norte americanos, bem como os ecologistas ao nível global, sejam proativos na contestação a esta decisão de Trump. 

Trump não pode ganhar com esta aberração de abandonar o acordo de Paris, porque o mundo (incluindo EUA) perde com ela!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

26 de maio - apresentação de candidatos em Setúbal

No próximo dia 26 de Maio, em Setúbal, pelas 20.00h vai ter lugar o jantar de apresentação pública das listas da CDU aos órgãos autárquicos no concelho de Setúbal, onde constará o nome de André Martins, dirigente de Os Verdes e cabeça-de-lista à Assembleia Municipal de Setúbal.


Esta iniciativa conta com a participação de Heloísa Apolónia da Comissão Executiva Nacional do PEV.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Sábado - Encontro Regional da CDU no Montijo

No próximo dia 20 de maio, sábado, pelas 14:30h, vai ter lugar no Cine Teatro Joaquim de Almeida, no Montijo, o Encontro Regional da CDU.

Este encontro revela-se de extrema importância para a afirmação do trabalho autárquico da CDU no distrito de Setúbal.

Apelamos à participação de todos os companheiros e eleitos do PEV, neste que será um encontro de balanço do trabalho da CDU no distrito, bem como, de perspectiva da acção futura para as eleições autárquicas de 2017.


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Encontro Concelhio da CDU no Barreiro

Ontem, 14 de maio, teve lugar na Casa dos Ferroviários, o Encontro Concelhio da CDU do Barreiro, um encontro que contou com a presença e intervenção da dirigente de Os Verdes, Susana Silva.

A CDU do Barreiro reafirma o seu empenhamento em prosseguir e aprofundar, com trabalho, honestidade e competência, o projecto autárquico de desenvolvimento do Concelho, que tem vindo a realizar, em criar cada vez melhor qualidade de vida para os que aqui vivem, estudam e trabalham e em criar um espaço atrativo onde se queira estar e viver, com a grande confiança de que é possível transformar a realidade e construir um futuro melhor.


Leia, abaixo, um excerto da intervenção da dirigente ecologista, Susana Silva:

O concelho do Barreiro é o reflexo total de uma autarquia com a marca da CDU, onde se trabalha para a excelência do concelho, para o bem-estar e a dignidade de todos quantos aqui residem, e, sempre com a sustentabilidade ambiental e social no horizonte, para estimular quem aqui pretende investir, produzir e criar emprego.

Hoje foram dados inúmeros exemplos de como a gestão CDU na autarquia do Barreiro tem sido fundamental para uma efectiva melhoria das condições de vida da população.

Assinalamos e comemoramos os 60 anos dos transportes colectivos do Barreiro e os 80 anos de abastecimento público domiciliário de água às populações.

60 anos de TCB’s que correspondem à prestação do serviço público de transporte colectivo e de mobilidade sustentável em todo o concelho e agora também na Moita. Futuramente, a aquisição de 60 novos autocarros irá contribuir para uma renovação total da frota, consolidando o serviço de transporte de excelência. 

80 anos de serviço público domiciliário de água às populações é sem sombra de dúvida mais uma marca da gestão CDU na autarquia do Barreiro, que sempre encarou a água como um bem público, único, universal e essencial à vida. São oito décadas de experiência e dedicação na construção e manutenção de um serviço que permitiu à população o acesso à água pública e de qualidade. Um serviço público que pugna pelo respeito do valor ambiental e insubstituível da água, que defende os interesses da população e onde cada vez mais a gestão pública e municipal é fundamental.

A valorização do espaço público, a requalificação urbana, a atenção aos valores ambientais e da qualidade de vida, o desenvolvimento de uma rede de equipamentos colectivos integrados em programas de democratização da prática desportiva e cultural, o planeamento e o ordenamento, indispensáveis a um desenvolvimento sustentável, tendo sempre presente todo o nosso património e memória colectiva, é tudo o que tem caracterizado a gestão CDU no Barreiro e o que nos diferencia de outros.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

14 de maio - Encontro CDU Barreiro

No próximo domingo, dia 14 de maio, vai ter lugar na Casa dos Ferroviários, o Encontro Concelhio da CDU do Barreiro. Este encontro decorrerá pelas 14.30h e contará com a presença e intervenção da dirigente de Os Verdes, Susana Silva.






quarta-feira, 10 de maio de 2017

Intervenção do PEV - Encontro CDU em Almada

Susana Silva, dirigente do PEV, e Sónia Tchissole - membro do coletivo de Almada - estiveram presentes no Encontro Concelhio da CDU do Concelho de Almada que se realizou a 6 de maio no Auditório da Escola Secundária António da Costa.



Leia a intervenção da dirigente ecologista, Susana Silva:

Muito boa tarde a todos,


Permitam-me, antes de mais, saudar em nome do Partido Ecologista Os Verdes, a mesa do nosso encontro, todos aqueles que fazem parte da Coligação Democrática Unitária e principalmente saudar todos os eleitos, homens e mulheres que durante este mandato, tiveram como principal objectivo defender as populações e dar respostas aos seus problemas, com a proximidade que só o Poder Local Democrático permite.

Foi, é e será sempre um trabalho e uma dedicação sem quaisquer interesses pessoais, tendo Abril como referência e sobretudo, um trabalho que vem reafirmar e cimentar as ideias de marca que caracterizam a gestão CDU: trabalho, honestidade e competência.

Amigas e Amigos,
Saídos das comemorações de mais um aniversário do 25 de abril, e do 1º de Maio, importa recordar que o Poder Local Democrático é também uma conquista de Abril.

Uma conquista importante e absolutamente decisiva para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, para as dinâmicas locais e para o desenvolvimento do país.

Apesar da importância que representa para as populações e para a nossa democracia, o Poder Local tem sido objeto de constantes ataques, que aliás se
acentuaram durante o período de governação do PSD-CDS.

Com a extinção de freguesias, imposta pelo anterior governo e nalguns casos com o apoio do PS, como sucedeu no concelho de Lisboa, cuja proposta de extinção de freguesias, partiu do próprio PS.


Leia aqui o texto completo desta intervenção.

sábado, 6 de maio de 2017

André Martins é candidato à presidência da Assembleia Municipal de Setúbal

André Martins, dirigente de Os Verdes, é o candidato da CDU à presidência da Assembleia Municipal de Setúbal. A sessão pública de apresentação dos primeiros candidatos da CDU aos órgãos municipais e freguesias realizou-se ontem, sexta-feira, dia 5 de maio.


"Que este seja o primeiro dia de uma grande jornada de trabalho que se inicia aqui e avançará até 1 de Outubro quando, temos razões para acreditar, a CDU alcançará uma grande vitória eleitoral"

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Iniciativas CDU em Setúbal, Almada e Moita

Nos próximos dias serão várias as iniciativas da CDU no distrito de Setúbal. Marca na tua agenda, participa e vem dar mais força à CDU nos vários concelhos!

Setúbal

No próximo dia 5 de maio, sexta-feira, pelas 18:00h, vão ser apresentados os primeiros candidatos da CDU aos órgãos autárquicos no concelho de Setúbal. Esta iniciativa irá decorrer no Largo da Ribeira Velha e contará com a participação de José Luís Ferreira, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


Almada

No dia 6, sábado, pelas 14:30h vai ter lugar no Auditório da Escola Secundária António da Costa, o Encontro Concelhio da CDU de Almada. Apelamos à participação de todos os companheiros e eleitos do PEV, neste que será um encontro de balanço do trabalho da CDU no concelho de Almada, bem como, de perspectiva da acção futura para as eleições autárquicas de 2017. Esta iniciativa conta com a participação de Susana Silva, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV. 


Moita

Também no dia 6 de maio, sábado, pelas 15:00h vai ter lugar no Clube Recreativo Sport Chinquilho Arroteense, o Encontro Concelhio da CDU da Moita. Apelamos à participação de todos os companheiros e eleitos do PEV, neste que será um encontro de balanço do trabalho da CDU no concelho da Moita, bem como, de perspectiva da acção futura para as eleições autárquicas de 2017. Esta iniciativa conta com a participação de Afonso Luz, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Moita - Intervenção de Susana Silva na iniciativa CDU

Susana Silva, dirigente de Os Verdes, esteve na iniciativa de ontem, 30 de abril, de apresentação dos cabeças de lista da CDU aos órgãos autárquicos do concelho da Moita, com a seguinte intervenção:


As primeiras palavras para em nome da Direção do PEV, saudar as restantes forças políticas que integram a CDU.

Uma saudação muito especial a todos os candidatos que hoje apresentamos nesta iniciativa, e que vão continuar no próximo mandato a dar corpo e sentido a este grande espaço de intervenção, a esta grande força política que é a Coligação Democrática Unitária.

Saudar ainda todos os homens e mulheres que durante este mandato e aqui no concelho da Moita, dedicaram muito do seu tempo, na defesa dos interesses das populações e na procura incansável de respostas para os seus problemas, preocupações e anseios.

Um trabalho e uma dedicação sem quaisquer interesses pessoais, tendo Abril como referência e sobretudo, um trabalho que vem reafirmar e cimentar as ideias de marca que caracterizam a gestão CDU: trabalho, honestidade e competência.

Companheiros e Amigos,

Numa altura em que comemoramos mais um aniversário do 25 de abril, e a poucas horas do 1º de Maio, importa recordar que o Poder Local Democrático é também uma conquista de Abril.
Uma conquista importante e absolutamente decisiva para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, para as dinâmicas locais e para o desenvolvimento do país.

Leia aqui a intervenção completa de Susana Silva.
Leia aqui mais informação sobre os candidatos CDU na Moita.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Iniciativas CDU em Palmela, Seixal e Moita

Nos próximos dias serão várias as iniciativas da CDU no distrito de Setúbal. Marca na tua agenda, participa e vem dar mais força à CDU nos vários concelhos - Palmela, Seixal e Moita!

Palmela

Hoje, dia 28 de abril, sexta-feira, pelas 21:00h, vão ser apresentados os primeiros candidatos da CDU à Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Palmela. Esta iniciativa irá decorrer na Biblioteca Municipal de Palmela e contará com a participação de Fernanda Pésinho, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


Seixal

No dia 29, sábado, pelas 16:00h vão ser apresentados os primeiros candidatos da CDU à Câmara Municipal e Assembleia Municipal do Seixal. Esta iniciativa irá decorrer na Sociedade Filarmónica Operária Amorense e contará com a participação de Susana Silva, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


Moita

No dia 30 de abril, domingo, pelas 15:30h vão ser apresentados os primeiros candidatos da CDU à Câmara Municipal e Assembleia Municipal da Moita.  Esta iniciativa irá decorrer no Salão dos Bombeiros Voluntários da Moita e contará, mais uma vez, com a participação de Susana Silva, membro da Comissão Executiva Nacional do PEV.


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Intervenção da Deputada Heloísa Apolónia na Sessão Solene do 25 de Abril de 2017


Intervenção da Deputada Heloísa Apolónia na Sessão Solene do 25 de Abril de 2017

Senhor Presidente da República
Senhor Presidente da Assembleia da República
Senhor Primeiro-Ministro e demais membros do Governo
Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça
Senhor Presidente do Tribunal Constitucional
Senhoras e Senhores Deputados
Estimadas e estimados convidados
Senhores Capitães de Abril
Minhas Senhoras e meus Senhores

Temos pressa de cumprir Abril! Passaram 43 anos sobre aquele dia em que se devolveu ao país a esperança e, ao povo, o poder de construir o futuro. O dia em que, de cravos vermelhos erguidos, se deu uma explosão de alegria e de saudação vibrante aos capitães de Abril pela libertação das amarras de 48 anos de fascismo.

Ter pressa de cumprir Abril é ter sede de garantir direitos e níveis dignos e verdadeiros de bem-estar e de felicidade para um povo inteiro. Não apenas para alguns, mas para um povo inteiro!
Era Salazar, o ditador fascista, que dizia que era muito mais urgente constituir elites do que ensinar o povo a ler, porque os problemas nacionais tinham de ser resolvidos, não pelo povo, mas pelas elites. Era esse ditador que dizia que o jornal era o alimento intelectual do povo e que, como todos os demais alimentos, tinha de ser fiscalizado, considerando a censura mais do que legítima e até um elemento de elucidação e um corretivo necessário. Classificava a profunda violência e a tortura imprimida pela PIDE aos presos políticos como uns safanões a criaturas sinistras e não tinha pudor em afirmar que em Portugal não havia espaço para a liberdade. Continuada por Marcelo Caetano, acrescente-se a esta barbaridade um milhão de jovens lançados para a guerra colonial, e milhares de jovens a desertar e a emigrar, para fugir do país que os tramava e a quem outras nações não fecharam portas. Era um povo a quem se ditava pobreza e exploração, enquanto meia-dúzia de famílias capitalistas enriquecia. Nas palavras de Ary dos Santos, chamava-se esse país «Portugal suicidado».
Em 25 de abril de 1974 o país fez-se em festa. Nas ruas, repletas de gente ávida de voz, gritou-se que «o povo unido jamais será vencido» e cantou-se que «o povo é quem mais ordena».


Nessa altura, os avanços foram imensos, mas o problema foi o que depois em tanto se interrompeu esse avanço e até, em vários aspetos, se foi recuando. Por exemplo, na legislatura passada, e com o Governo anterior, alguém ousará afirmar que o aumento de horas de trabalho, o fim de feriados, a fragilização de serviços públicos, a fúria de entrega de setores fundamentais aos privados, os cortes nas pensões contributivas e nos apoios sociais, os cortes nos salários ou o aumento brutal de impostos foram avanços que se deram? Não! Foram recuos que geraram pobreza e ameaçaram seriamente os nossos níveis de desenvolvimento. E deram-se por escolhas ideológicas, de uma direita que claramente privilegiou os grandes interesses económicos e financeiros e não o bem-estar dos cidadãos.

Em política não há inevitabilidades, mas sim opções, escolhas. Por isso, nesta legislatura, depois de os eleitores terem atribuído a maioria dos deputados aos partidos que se tinham comprometido com a mudança, o Partido Ecologista Os Verdes trabalhou e tem contribuído para que sejam, sem hesitações, repostas condições e direitos aos portugueses que lhes tinham sido retirados. Mas temos estado também a trabalhar para que as condições de desenvolvimento melhorem a vários níveis. Para dar alguns exemplos: (i) reclamámos do Governo determinação para enfrentar interesses poderosos, como o das celuloses, para travar a brutal expansão da área de eucalipto; (ii) propusemos medidas para a necessária descarbonização do país e para a redução de gases com efeito de estufa, através da criação de melhores condições para fomentar o transporte coletivo e a mobilidade ferroviária; (iii) exigimos atenção sobre o interior do país e a necessária revitalização de atividade produtiva sustentável; (iv) reivindicámos mais meios para a conservação da natureza e da biodiversidade e para o controlo de poluição; (v) alertámos para problemas tão sérios como a preocupante intenção de pesquisa de hidrocarbonetos na nossa costa, ou para a cada vez mais obsoleta central nuclear de Almaraz.


O que importa ter hoje presente é que não se pode perder a dimensão da coragem que se revelou em todas as mulheres e homens que lutaram para construir Abril. Em jeito de apuramento de resultados, temos ainda muito, muito por conquistar em termos de direitos sociais e ambientais.

Mas, a União Europeia tem-se constituído um sério obstáculo a esse objetivo. Formando-se em torno de elites, servindo os interesses dos poderosos, distante dos povos, ignorando as suas necessidades, exigindo metas incompreensíveis. Ao Governo português, nós Verdes, o que exigimos é que governe para as pessoas, para o desenvolvimento do país e que não esbarre na obsessão de números bem encolhidos para Bruxelas. Essa é uma condição para a estabilidade de que o país não pode prescindir.
Uma última nota para dizer que foram tantos os portugueses que procuraram refúgio noutros países para fugir à guerra colonial, outros para buscar melhores condições de vida - são cerca de 5 milhões as pessoas de origem portuguesa espalhadas pelo resto do mundo. Temos, nós, mais do que a obrigação de compreender o imperativo de desprezar ideias fascistas, nacionalistas, racistas, xenófobas que erguem fronteiras de desumanidade, quando exaltam o medo de refugiados ou o ódio aos imigrantes.

Sempre com a liberdade, a democracia, a paz, a justiça, a solidariedade, a igualdade, a fraternidade no horizonte, são muitos os que trazem, como descreve José Fanha, «o mês de Abril/ a voar/ dentro do peito». Mas, «não é segurando nas asas que se ajuda um pássaro a voar. O pássaro voa simplesmente porque o deixam ser pássaro» (Mia Couto).

Minhas Senhoras e meus Senhores, Temos pressa de cumprir Abril!

terça-feira, 25 de abril de 2017

Moita - Conversa Ecologista "A" de Ambiente na Constituição da República Portuguesa

No sábado passado, dia 22 de abril, realizou-se na Moita, mais uma Conversa Ecologista - “A” de Ambiente na Constituição da República Portuguesa.

Foi uma "Conversa" com muita participação e interesse de todos os presentes, e onde se realçou a importância do debate em torno das questões do Ambiente e da promoção do conhecimento da Lei Mãe da democracia portuguesa.

Foi, ainda, inaugurada a exposição de Cartoons, que retrata o Estado do Ambiente em Portugal, da autoria do Arq. Telmo Quadros.